Alfazema de alma Lavanda

 

Lavanda e Alfazema, representam o mesmo gênero, embora existam pequenas diferenças entre espécies e subespécies. Na verdade a Alfazema (Lavandula latifolia) é um dos vários tipos de lavandas existentes. Possui um odor canforado e isso a diferencia das demais espécies do gênero. A lavanda é uma planta pequena, com flores espigadas, geralmente de cor roxa ou violeta, que floresce em várias partes do mundo. Erva mediterrânea, a Lavanda está associada à idéia de limpeza desde que os romanos começaram a usá-la nos seus banhos. De fato, o nome vem do latim “Lavandus”, que significa lavar, e até os dias atuais o uso da Lavanda/Alfazema está associado no equilíbrio das energias, limpar e purificar os ambientes trazendo paz e harmonia.

 

A região da Provença, no sudeste da França, tem como cartão postal seus campos de Lavanda repletos de cores e aromas. Essa região é a maior produtora mundial de lavanda onde são cultivadas mais de 30 espécies da planta em mais de 8.400 hectares de terras sendo a região de Grasse, cidade situada na região da Provança nos Alpes Marítimos da Costa Azul, uma das maiores produtoras dessa matéria-prima tão comum em composições aromáticas. Em Grasse, um quarto do seu território é uma reserva natural com abundantes plantações de flores, o que proporcionou o desenvolvimento da indústria de perfumaria deixando-a conhecida como a Capital mundial do perfume.

 

O óleo essencial de Lavanda tem grande poder sedativo e calmante sendo por isso muito utilizado em “Aromaterapia”. A lavanda oficial (Lavandula sugustifolia) é também conhecida como Lavanda Inglesa e fornece o óleo essencial mais utilizado na perfumaria, é um dos principais elementos constituintes de um perfume, seja ele feminino ou masculino. Conhecida na Provança como “Ouro Azul” esta planta é considerada a alma que pulsa perfumando e embelezando toda a região. E de tão admirada a Lavanda ganhou um museu inteiro só para ela. O “Musée de La Lavande” fica em Coustellet, uma aldeia na região de Provança. O museu foi aberto em 1991 graças à família de produtores da tradicional Lavanda de Provança que produz 10% de toda a Lavanda real da região. O Museu permanece aberto durante o ano todo, e lá podemos apreciar e conhecer a história da Lavanda, sobre suas curiosidades e sobre o processo da retirada da essência.

 

Há uma planta comum em nosso país, conhecida como Alfazema do Brasil que cresce em forma de arbustos, desgalhados, com flores brancas. Esse tipo de Alfazema é mais utilizado na área medicinal. A alfazema do Brasil (Aloysia gratissima) também conhecida como: Erva-santa, Erva-cheirosa, Erva-da-graça, Erva-de-colónia, erva-de-Nossa-Senhora, e Mimo-do-Brasil possui várias aplicações na medicina popular como: excitante e aromática, apresentando propriedades medicinais utilizadas em tratamentos para hipertensão, colesterol, dores de cabeça, males estomacais, gripes, nervos e fígado. Além do uso como chá, as folhas são misturadas à erva-mate para o consumo do chimarrão, as folhas são também condimentares utilizadas especialmente para temperos de carnes de porco. Já nos jardins, é utilizada como planta ornamental e ocasionalmente como cerca-viva, pois aceita podas drásticas sem comprometer a floração(Gillies Hook).

As propriedades medicinais e terapêuticas da Lavanda são amplamente utilizadas desde a antigüidade. No plano físico, a Lavanda é indicada para problemas de fundo nervoso e como possui propriedades analgésicas, atua em tratamentos para dores de cabeça, ouvido, TPM, etc., sendo utilizada também em tratamentos de problemas respiratórios, pressão alta, má digestão, é antifungicida, antiviral e sedativo. Em tratamentos de pele, é um ótimo adstringente, combate a oleosidade, atua ainda como regenerador celular e combate a dermatite, acne, psoríase e picadas de insetos. No tratamento capilar, é um tônico utilizado no combate da queda e da caspa. No plano emocional, a Lavanda tranquiliza e acalma a mente e o coração com suas propriedades antidepressivas auxilia no combate ao estresse, ansiedade e insônia.

Todas estas propriedade e seus benefícios fazem do óleo essencial da Lavanda um dos mais apreciados na Aromaterapia, sendo comum a indicação da aplicação de gotas do óleo nas extremidades de colchões e travesseiros para acalmar e combater a insônia e ansiedade. O óleo também é utilizado em banhos e massagens que podem melhorar músculos doloridos, edemas, dores reumáticas e celulite. Auxilia também na transformação da atmosfera de ambientes através do aroma proveniente de seu óleo essencial, restaurando energias ao proporcionar equilíbrio entre mente e corpo aliviando tensões e cansaços, além claro de contribuir para harmonizar e personalizar o ambiente com sua fragrância suave e encantadora.

Sua versatilidade também encantou o universo da arte culinária francesa onde a Lanvanda é acrescentada em pequenas quantidades em sopas e guisados sendo muito apreciada e também  conhecida como “Herbes de Provence”,  compondo uma mistura de ervas aromáticas que é utilizada para temperos e implementos em saladas, pães, doces, bolos, sorvetes, etc.

Apesar de não estarmos na Provance Francesa, podemos ter flores de Lavanda em nossos ambientes plantando-as no Jardim ou em vasos e cachepôs para quem não dispõe deste espaço. No caso dos vasos, estes precisam ser colocados em locais bem iluminados, pois a lavanda precisa de sol e desenvolvem-se bem em janelas e varandas bem iluminadas com a luz solar. Lavandas gostam de climas mais amenos e frios, solos arenosos e muita luz solar, mas não toleram muita água, pois suas raízes sofrem com o excesso de umidade e apodrecem facilmente. Nos jardins ficam muito bem formando touceiras em caminhos e bordaduras junto de muros, ficam lindas formando canteiros como forração e também como elemento isolado. Como planta rútica, a Lavanda não requer muitos cuidados o que faz dela uma planta de fácil manutenção e ainda quando suas flores secam podem ser usadas em arranjos florais e sachês para perfumar a casa. Recomenda-se plantar a Lavanda com um composto de substrato (comprado pronto em lojas especializadas) misturado com 20% de areia e 20% de húmus de minhoca e só regar quando o solo estiver bem seco.

Como ainda não podemos contar com a tecnologia para proporcionar sensações olfativas, não pude trazer para vocês neste post os aromas das Alfazemas Lavandas tão apreciadas e bem vindas… Mas, trouxe a delicada poesia de Carlos Walker contida numa música tão linda que embala nossa imaginação nos transportando para os campos de Alfazema… Apreciem…

Alfazema… Pelos Jardins eu corro vindo… Pelos Jardins eu corro rindo… E nas janelas, vasos brancos de porcelana… Trazem mortas todas as rosas amarelas todas colheitas de outras eras no longo curso… Alfazema… Na primavera vem surgindo… Eu me levando a campos lindos me agasalhando nos caminhos onde Alfazema fez sorriso… e fez descer no Paraíso todos os anjos e suas cestas para as colheitas… Alfazema… Na primavera vem surgindo… Pelos caminhos vou sorrindo… E nas janelas, vasos brancos onde Alfazema fez sorriso… E fez virar um Paraíso todas colheitas de outras eras do longo curso de Alfazema. (Letra da música de Carlos Walker)

Abraços, floridos de Alfazema…

Sejamos Felizes!

5 comentários para “Alfazema de alma Lavanda

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *