Árvores que Quero sempre Verdes!

 

Cultivei a semente da árvore também para os passarinhos, sem saber se vinham. Mesmo que não viessem, só de aguardá-los, eles já cantavam no meu coração… (Ana Jácomo – Via-que-seja-leve)

As árvores têm simbolismo complexo e em muitos aspectos, universal. As árvores decíduas que perdem as folhas sazonalmente, são o simbolo supremo de ciclo de crescimento, decadência e regeneração, mas tanto as decíduas como as perenes, que nunca perdem folhas, simbolizam o vigor, a constância, a fortaleza e a longevidade. Com raízes em baixo da terra e galhos ao ar, as árvores são consideradas pontes entre o mundo inferior, a terra e o céu. Para alguns povos sul-americanos, a humanidade nasceu no mundo inferior e emergiu da copa de uma árvore. A árvore conecta os quatro elementos, se alimenta da terra e do ar, possui água seu interior (seiva) e abastece o fogo. As árvores são para a Natureza, meio ambiente e humanidade extremamente importantes, e sobre esta importância muito já se falou, tanto que todo comentário a respeito torna-se redundante, mas não o suficiente para sensibilizar os seres humanos que mais precisam delas e nem por isso deixam de destruí-las. E, nesse sentido trago para este post um artigo sobre um trabalho do Botânico Francis Hallé, cujo objetivo é “cutucar” o poder público para menos destruição e mais preservação das nossas árvores e florestas. Leia abaixo.

O livro “Du bom usage des arbes” (Do bom uso das árvores) ainda sem tradução para o português, do Botânico francês Francis Hallé, pretende destacar a importância das árvores para todo o planeta. Feito para sensibilizar planejadores urbanos e políticos para que promovam ações eficazes de preservação, a publicação estima que metade das florestas do mundo foi extinta no séc.XX. Só entre 2000 e 2005, calcula-se que foram derrubados cerca de 20 mil hectares de florestas por dia.

Alguns dados do livro, como o funcionamento das árvores e os serviços inestimáveis que prestam à humanidade foram comentados pelo Jornal Britânico The Guardian, veja abaixo:

  • Antipoluição – Já no ensino Fundamental, aprendemos que as árvores absorvem dióxido de carbono, mas o que muita gente não sabe é que elas também absorvem do ar poluentes pesados como chumbo, manganês, fuligem e óxido nitroso. Estes tóxicos ficam armazenados na madeira da árvore e quando mais velha ela for, mais absorverá.
  • Longevidade – enquanto os humanos vivem um século, no máximo, algumas árvores são “praticamente imortais”. Isto acontece com uma espécie chamada Sicômoro, se não sucumbir a acidentes, doenças ou à ação humana.
  • Auto-suficientes – Elas cuidam de si próprias e não precisam de muito para sobreviver, apenas de ar, luminosidade e sais minerais. É que s árvores têm seu próprio mecanismo de defesa e criam substâncias químicas para afugentar seus inimigos como ratos e insetos. Algumas delas também são usadas como medicamentos como o taxol usado no combate do câncer. Outro funcionamento particular das árvores é a reprodução realizada por suas próprias sementes.
  • Extensas – Uma árvore de 15 metros de altura pode chegar a até 200 hectares, se for somada toda a sua superfície ativa. Isto porque a árvore toda respira, ambos os lados das folhas, o tronco, galhos, raízes e filamentos.
  • Servem de Lar para outra espécies –  as raízes das árvores geralmente são mais compridas que seus ramos e abrigam fungos, líquens, outras plantas, insetos, vermes e até mamíferos.
  • Tranquilizantes – Já experimentou abraçar uma árvore? De acordo com o Botânico, o movimento das folhas das árvores, principalmente certas espécies de coníferas, liberam íons negativos que têm efeitos benéficos sobre a saúde e o humor das pessoas.
  • Urbanas – Embora as árvores remetem a uma atmosfera bucólica e distante dos grandes centros urbanos, a presença delas nas cidades torna o ar mais agradável e fresco. Além da sombra, as árvores também contribuem com a preservação do solo, prevenção de enchentes e produção de frutos comestíveis.
Uma última observação do livro: um antigo ditado diz que as pessoas precisam plantar ao menos uma árvore em vida, mas isto pode não ser suficiente. Calcula-se que seria preciso dez árvores para criar oxigênio suficiente para uma pessoa respirar durante um ano.
fonte: Este artigo foi publicado originalmente no site EcoD.

 

Você já pensou no mundo sem árvores? Eu não quero nem pensar… Já plantei algumas dezenas por aí e ainda quero plantar muito mais. Se você não sabe como, existem vários projetos que orientam e motivam esta prática, e acredite, faz bem para “Todo o Mundo”. Saiba mais:

www.plantearvore.com.br
www.plantearvore.org.br
www.clikarvore.com.br
www.planteumaarvore.org
www.plantarumaarvore.org

Abraços desejosos de que você abrace, adote, plante, proteja, usufrua das árvores e Seja Feliz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *