Equilibrando a vida

 

O movimento da vida se assemelha a uma onda, com seus picos e seus vales. Ora você está no pico, ora está no vale. Em um momento você está triste, noutro está alegre. Então, quando puder ser o mesmo, tanto na alegria quanto na tristeza; tanto no dia como na noite, você terá adquirido o estado de equanimidade mental que lhe permite observar o transitório sem se identificar. Esse é o seu trabalho.

(Sri Prem Baba)

A equanimidade é a virtude que nos permite manter a serenidade mental, emocional e energética criando um estado de verdadeiro equilíbrio vibracional. E, segundo Mautama Krishnarabi, através da expressão de um estado de espírito de paz e consciência elevada, a equanimidade é a virtude que faz com que possamos nos manter estáveis, livre das turbulências emocionais, mantendo uma atitude de equilíbrio constante perante todos os desafios.

Com equanimidade, somos capazes de vivenciar a imparcialidade até mesmo nas mais difíceis situações, e podemos nos expressar com energia serena, mantendo o completo equilíbrio e clareza nas ações.

Mas como desenvolver a equanimidade?

Para desenvolver a equanimidade é preciso saber aquietar a mente para aliviar o coração. Isso não é tarefa fácil, não vou negar, mas também não é impossível e todo esforço nesse sentido vale muito a pena.  A minha experiência pessoal, através da contemplação da Natureza e da meditação, me possibilitou alcançar muitos benefícios como a desaceleração da mente e o controle dos pensamentos (principalmente os negativos), diminuindo a ansiedade e aumentando meu auto conhecimento. E, como compartilho aqui no Blog somente o que admiro e acredito, asseguro que esta prática pode trazer muitos benefícios a todos nós que sofremos as angústias e as dificuldades em lidar com uma vida que nos cerca com incertezas e temores.

A palavra meditação em Sânscrito é “bhavana”, e significa cultivar, assim como um agricultor cultiva a terra para semear e ter o alimento que não está lá pronto a sua espera. É preciso trabalho, dedicação e cuidado para se obter uma boa colheita. Aí está mais um ensinamento que a Natureza nos oferece: “ao invés de sairmos tentando a todo o custo encontrar alguma felicidade externa já pronta, nós devemos cultivá-la através do equilíbrio e da serenidade, dentro dos nossos próprios corações e mentes”.

Cultivar o equilíbrio e a serenidade para lidar com quaisquer circunstâncias externas a nós, requer muita atenção, muito cuidado, dá trabalho, mas vale a pena, pois é o mesmo que cultivar “felicidade”. E quem não quer ser feliz?

Quer saber mais sobre?

  • Como Cultivar o Equilibrio Emocional?
  • Como nossos desejos e impulsos afetam nosso bem-estar emocional?
  • Como a desatenção afeta nossas mentes?
  • Que impactos têm os pensamentos negativos?
  • Como podemos corrigir os desequilíbrios emocionais?
  • Como podemos cultivar o equilíbrio mental e emocional em nossas vidas?
Assista o vídeo onde o Prof. Alan Wallace nos oferece elementos

Abraços,
Sejamos Felizes!

Imagens: Web

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *