Jardim decorado com Vasos

Uma tendência que tem aumentado bastante no universo da jardinagem é a decoração dos Jardins que pode transformar de várias formas seu cenário, além de promover diversos usos, é como decorar a casa e, acredite, vale muito a pena.

Essa decoração se dá através dos muitos objetos que estão relacionados a este universo e, só para citar alguns, um caramanchão, um banco, um pergolado, uma fonte, um espelho d’água, uma escultura e até mesmo um vaso, podem fazer uma grande diferença, principalmente se forem utilizados como pontos focais no espaço.

O ponto focal é algo que atrai imediatamente o olhar do observador num espaço e, desse modo, chama a atenção para o ambiente em questão. No caso de um Jardim grande, pode-se explorar mais de um ponto focal. Já num Jardim pequeno, apenas um ponto já é o bastante, para se evitar a sensação incômoda de excesso de informação, ou seja, vários pontos que, pela proximidade, chamem a atenção do observador ao mesmo tempo.

O ponto focal pode ser criado com elementos decorativos, sugerindo um ponto de destaque no jardim ao ser disposto num determinado espaço ou até mesmo no final de um caminho como um acabamento final, cuja contribuição é organizar a definição do ambiente criando uma harmonia ao conjunto na medida em que o olhar do observador vai percorrendo o cenário. É como se o elemento utilizado como ponto de destaque, fosse um marco em torno do qual o Jardim é criado,  um ponto que evita que o olho vagueie sem ter onde se concentrar, o que é bem desconfortável.

Um objeto bem simples e comum aos Jardins que pode ser utilizado como ponto focal,  é o “Vaso”, elemento da dedicação deste post, onde selecionei algumas dicas nas quais você vai perceber que, independente da decisão quanto a seleção do tipo de vaso, bem como sua locação no espaço, que é pessoal e subjetiva, uma coisa é inegável: “o vaso certo no lugar certo, pode transformar até mesmo o espaço mais simples em algo extraordinário”.

Como ponto focal, o vaso pode ser utilizado preenchido com plantas ou simplesmente vazio. Mas independentemente da escolha relativa à sua utilização, este objeto merece algumas considerações, pois apesar de ser um elemento comum num Jardim, o tipo de vaso pode fazer uma grande diferença no contexto que se quer criar.

Cor – A cor pode produzir efeitos que sugerem humor, drama, neutralidade, excitação, serenidade, alegria, leveza, descontração, dentre outros. Ao escolher a cor do (s) vaso (s), pense que tipo de sensação você quer obter para o seu espaço.

Um vaso com uma cor semelhante a cor da casa, integra a casa com a paisagem e produz uma harmonia neutra ao tirar o destaque do objeto utilizando-o apenas como suporte ou elemento decorativo complementar.

Estilo – O estilo do vaso também conta, deve estar em sintonia com o estilo da arquitetura para não gerar um conflito visual que gere desequilíbrio

Tamanho -> Outro fator que deve ser levado em consideração. Um vaso grande costuma funcionar bem na maioria dos espaços, enquanto que vasos pequenos precisam ser agrupados em conjuntos para que obtenham expressividade.

Um vaso com uma forma alta e estreita evoca elegância, enquanto um vaso baixo conduz o olho à uma busca de continuidade.

Não existem regras rígidas quando se trata da colocação dos vasos nos espaços, mas só para dar uma ideia básica, um vaso situado no centro de uma área, faz com que o observador faça uma pausa e busque desfrutar dos arredores próximos a ele, enquanto um ou dois vasos colocados numa entrada, atraem os visitantes como um convite a avançarem e adentrarem no espaço subseqüente.

Escolher acessórios para o Jardim é o mesmo que escolher objetos para decorar a casa.  As possibilidades são infinitas, mas a forma como o Jardim é decorado é que define o espaço com harmonia e personalidade.

Abraços,
Sejamos Felizes!

Fontes: gardendesign.com; Pamela Crawford da qual recomendo o livro: “Easy container gardens”. 
Imagens: Web.

O Tempo é algo que não volta atrás. Por isso, plante seu Jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores…

William Shakespeare

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *