Flores prensadas em esculturas

Muitas pessoas se lembram de já terem visto flores prensadas entre páginas de livros antigos. A ideia de preservar plantas, secando-as através de prensagem, originou-se com os primeiros botânicos; uma forma prática por eles encontrada, para preservar as espécies vegetais encontradas na Natureza e assim poderem analisá-las e registrá-las.

Mas, a preservação da flor é considerada tão antiga quanto a história da própria humanidade. Apesar da preservação deliberada ser um fenômeno mais recente, estudos já mostraram e confirmaram através de pesquisas exemplos de ossos de homem pré-histórico descobertos com delicadas flores silvestres, provavelmente como um tributo a uma existência amada.

Com o decorrer da história, as flores preservadas aparecem ao redor do mundo numa gama diversificada de configurações e usos. Durante a época Vitoriana, por exemplo, as flores prensadas foram muito utilizadas com o intuito de preservar os elementos capturados no meio natural. Assim, a beleza da Natureza foi levada para o interior das casas através da técnica de prensagem de plantas aplicadas em diversos objetos, onde ela poderia ser apreciada sempre.

Foi essa ideia de preservar a beleza das flores, que inspirou o artista espanhol, Ignacio Canales Aracil, à criar cúpulas reminiscentes de cestos de cabeça para baixo, usando apenas flores através da utilização da técnica de plantas prensadas que remonta milhares de anos.

Mas, o método de Aracil é um pouco diferente dos mais comuns à prática de preservação de flores através de prensagem. Contando com grandes moldes em forma de cone, ele forma manchas de flores e hastes tecidas que são escolhidas a dedo para formar as lindas estruturas em forma de cúpulas.

As estruturas criadas pelo artista levam mais de um mês para secar, num processo que não conta com nenhum adesivo, no qual as estruturas são apenas pulverizadas com um verniz para proteger a escultura da luz e da umidade.

As peças resultantes deste processo, ao contrário do que possa parecer (desabarem ao menor toque), são rígidas o suficiente para se sustentarem sem nenhum apoio.

Segundo Ignacio, seu trabalho apresenta uma obra acessível e íntima que celebra a primavera ao manter suas flores preservadas. Sua obra explora o significado das flores na Natureza com formas que capturam sua beleza em escultura onde a vida se realiza. É a História se reinventando…

Saiba mais sobre o artista e sua obra AQUI.

Abraços,
Sejamos Felizes!


Fontes: mymodernmet, colossal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *