Vamos para Inhotim!

inhotim

A Natureza está constantemente a misturar-se com a Arte. (Ralph W. Emerson)

Inhotim é assim, uma mistura de Natureza com Arte, mistura tão perfeita que as vezes se torna difícil de definir, além disso, é motivo de orgulho do Brasil, mas muitos brasileiros nem sequer ouviram falar ou sabem da existência deste espaço, preferem muitas vezes viajar para outros países atrás da Natureza e da Arte, sem conhecer primeiro o que temos por aqui. Considerado o maior Centro de Arte ao ar livre da América Latina, Inhotim, está localizado em Brumadinho (Minas Gerais), uma cidade com 30 mil habitantes, a apenas 60 Km de Belo Horizonte. Segundo os moradores de Brumadinho, o local foi uma fazenda pertencente a uma empresa mineradora que no século XIX, atuava na região e cujo responsável era um inglês, de nome Timothy – conhecido como Sr. Tim, que, na linguagem local, acabou virando “Nhô Tim”, (bem coisa de mineiro…) surgindo daí o simpático nome do instituto de INHOTIM.

O instituto Inhotim localiza-se dentro do domínio da Mata Atlântica, com enclaves de cerrado nos topos das serras. Situado a uma altitude que varia entre 700m e 1.300m acima do nível do mar, com uma área total de 786,06 hectares, tendo como área de preservação 440,06 ha, que compreendem os fragmentos de mata e incluem uma Reserva Particular do Patrimônio Natural com 145,37 ha.

 

Surgiu em 2004 para abrigar a coleção de Bernardo Paz, empresário da área de mineração e Siderurgia, que foi casado com a artista plástica carioca Adriana Varejão, e há 20 anos começou a se desfazer de sua valiosa coleção de Arte modernista, que incluía trabalhos de Portinari, Guignard e Di Cavalcante, para formar o acervo de Arte Contemporânea que agora está em Inhotim.

A relação das obras de Arte com o espaço ao ar livre aliada a dimensão do lugar e a beleza da Natureza circundante e recriada, fazem da visita a Inhotim uma experiência indescritível e singular. Com relação a Natureza recriada, Inhotim tem em seus jardins a marca incomparável de Burle Marx, que mesmo sem saber lançou nas terras vermelhas do sertão das veredas do rio Paraopeba, a semente do que mais tarde veio a ser o instituto Inhotim. Paisagista, pintor e desenhista, Burle Marx foi um dos principais artífices do modernismo brasileiro. Porém é a visão do Paisagismo como Arte, “Pelo menos é assim que entendo o paisagismo, como uma forma manifestação artística”, segundo palavras do próprio Burle Marx, seu principal legado conceitual para o projeto museológico que se construiu em Inhotim. O acervo botânico do Inhotim congrega e apresenta em seus projetos paisagísticos um grande número de representantes de espécies ornamentais como bromélias, clúsias, quaresmeiras, imbés e alamendas que foram iniciadas e disseminadas pelo artista ao longo de mais de 60 anos. Além disso, inclui muitas as plantas que nunca chegaram a ser utilizadas pelos seguidores de Burle Marx, como canelas-de-ema, sempre-vivas, caetés, ciclantáceas, e muitos outros grupos….

 

Em consonância com o legado de Burle Marx, o instituto Inhotim, em suas atividades educativas, projetos de pesquisa e até em sua prática paisagística diária, visa minimizar o impacto da convivência humana na paisagem natural realçando sua beleza.

 

Todos que vão à Inhotim, normalmente lá chegam com altas expectativas criadas seja através de pesquisa prévia, ou através de alguém que já visitou, e mesmo assim, saem da visita maravilhados.

 

Inhotim é sem dúvida uma experiência a ser vivida. Não é apenas o acervo das obras de arte que o define, nem as exposições, mas o lugar. E que lugar! Do atendimento às instalações e todo o mais dentro dos limites de Inhotim, pode ser classificado como excepcional. Digno de elogios dos mais exigentes.

O jornal “The New York Times”, em referência ao Inhotim, citou certa vez que “poucas instituições se dão ao luxo de devotar milhares de acres de jardins e montes de campos a nada além da Arte, e instalar a Arte ali para sempre”.

A experiência de visitar o Inhotim deve ser desfrutada por todos os que tiverem a oportunidade. A mistura da Natureza e Arte Contemporânea, se apresentam ali, de maneira perfeita. Para quem gosta de Natureza e Arte é imperdível! O local é imenso e para visitar todas as galerias em um só dia é cansativo e nem sempre dá tempo, por isso, o ideal é se programar para dois dias além de contratar o serviço de transporte interno do instituto.

Em Inhotim todos os caminhos nos levam à deliciosas conexões entre Arte e Natureza com obras raras entre um acervo Botânico riquíssimo. Se você gosta de se surpreender, então conheça Inhotim. Lá tudo é visualmente incrível, onde a surpresa seguida de encantamento, está em cada trecho do percurso, em cada detalhe, em cada vislumbre do que se tem ao redor. Um verdadeiro espetáculo para todos os sentidos. Mas, nada do que se leia ou ouça consegue expressar a experiência de conhecer Inhotim…

Gostou? Saiba mais Aqui.

Abraços, desejosos de que você possa sempre conhecer coisas boas e seja Feliz!

Imagens: Web.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *