KoKedama – Plantas suspensas fora do vaso. Vem Ver!

 

aComumente as plantas de interiores sempre foram arranjadas de muitas maneiras nos diversos ambientes que costumamos habitar. Em geral plantadas em vasos que espalhamos pelos espaços, apoiados em diversos suportes e, em algumas situações, até mesmo suspensos.

Recentemente, no entanto, tem surgido através de muitos dedos verdes criativos, um resgate de uma técnica antiga de arranjos para plantas de interior, totalmente livre de qualquer tipo de recipiente.

A novidade não está nas plantas em si, e sim na forma como são plantadas e dispostas nos ambientes, onde ganham ares de esculturas naturais que podem ser apoiadas em diversos suportes, ou simplesmente suspensas, aliás, no modo que chamam mais a atenção: pendendo em fios de um jeito despojado, solto, dançante e lúdico.

Até o nome parece brincar: “Kokedama” que se traduz como bola de musgo, cuja técnica consiste na remoção da raiz de uma planta do seu recipiente, para transplantá-la numa bola de solo lamacento composto pelos nutrientes necessários para o seu desenvolvimento, que é envolvida na seqüência por uma camada de musgo para dar proteção e acabamento ao arranjo. A camada de musgo se prende a bola de lama que contem a planta através de amarração, da qual pode sair o fio para pendurar o arranjo.

a1

O Koke (musgo) dama (bola), é uma arte contemplativa japonesa fundamentada na técnica ancestral do Bonsai. Compativamente ao Bonsai, o Kokedama era considerado como o Bonsai dos pobres, visto que os Bonsais propriamente ditos, eram reservados as elites japonesas que possuíam poder aquisitivo para desenvolver a técnica. O grande diferencial do Kokedama está na sua simplicidade, tanto em termos de elaboração como de manutenção.

a2

Sua elaboração dispensa o recipiente, sendo que o arranjo consiste na formatação de um torrão para abrigar a raíz da planta e fornecer um meio para seu desenvolvimento. Sendo a planta um elemento vivo que vai se desenvolver e mudar conforme o tempo, a temporalidade do arranjo vai depender de fatores relacionados ao tipo de planta, desenvolvimento, condições locais, manutenção etc., porém a durabilidade nunca será breve. Muitas plantas se adaptam bem ao esse tipo de arranjo, o fato de estarem livres do vaso, promove um arejamento do qual elas parecem gostar, mas é preciso atenção com relação as regas, pois mesmo envolvidas com o musgo, por estarem mais expostas ao ar, principalmente em locais de clima quente e/ou com mais vento ou correntes de ar, secam mais do que se contassem com a proteção de um vaso.

a3

 

a4

Os Jardins suspensos feitos com Kokedamas contendo plantas de todos os tipos, valendo também frutas, ervas, pequenas árvores, etc., pendurados em fios de diversos tipos, virou febre pelo mundo afora, onde a simplicidade do arranjo aliada a criatividade dos seus jardineiros, tem encantado muita gente.

a5

O Kokedama é fácil de fazer, muito simples de manter e versátil com relação a forma de exposição, pois além dos encantadores móbiles suspensos, também podem ser exibidos isoladamente sobre diversos suportes. Veja como ficam lindos sobre variados suportes que ganham um destaque sofisticado através da simplicidade do arranjo:

a6

 

a7

 

a8

Os Kokedamas são, sem dúvida, uma alternativa para arranjos lindos e duradouros que cabem em qualquer cantinho que, com eles, ganham um destaque especial através do toque de vida singular com ares de obra de Arte.

Se quiser experimentar fazer um Kokedama, você vai precisar dos seguintes materiais:

  • Uma muda de planta que goste de sombra, pois o musgo que dará acabamento ao seu arranjo é uma espécie vegetal que não tolera a luz solar direta.
  • Uma boa terra adubada que poderá ser encontrada em saco de 2 quilos em lojas de materiais de jardinagem.
  • Uma quantia de areia grossa, que poderá ser encontrada em lojas de jardinagem ou de materiais de construção, também em sacos pequenos.
  • Composto de turfa ou solo akedama, que são usados para Bonsais, que você também poderá encontrar em lojas de jardinagem.
  • Um saco de esfagno, também encontrado em lojas de jardinagem.
  • Um par de luvas.
  • Uma tesoura.
  • Fio de algodão ou nylon de preferência na cor verde musgo ou preta.
  • Uma jarra ou tigela funda com água.
1º Passo:  Uma medida equilibrada para a mistura que irá compor o solo do Kokedama é a seguinte:% de terra adubada + 15% de areia grossa + 35% de akadama ou turfa. Misture bem estes ingredientes e vá adicionando água aos poucos enquanto amassa bem até obter uma massa com consistência de argila.
a9

2º Passo: Remova toda a terra da sua planta, retirando-a com cuidado do vaso ou recipiente que estiver plantada e ir soltando as raízes com cuidado para não danificá-las, livrando-as de toda terra.

a10

3º Passo: Insira a planta com cuidado na massa argilosa que você preparou. Acomode bem as raízes na massa de argila envolvendo-as delicadamente com a massa até obter o formato desejado. As formas mais exploradas para os Kokedamas são a bola, a gota e a piramidal.

a11

4º Passo: Umedeça bem o musgo e  comece a cobertura da bola com ele utilizando para isso um fio de nylon ou algodão para ir amarrando o musgo até cobrir totalmente a bola com ele.

a12

 

a13

Depois de pronto você precisa regar seu arranjo, para isso prepare uma recipiente com água, pode ser uma tigela ou jarra onde você possa mergulhar o arranjo de modo que a água cubra toda a bola de musgo, deixe dentro da água por uns dez minutos, depois retire, deixe escorrer e seu Kokedama estará pronto para ser exibido. Se quiser pendurá-lo, lembre-se de deixar um pedaço de fio para isso quando estiver amarrando o musgo. Lembre-se também de sempre de verificar a umidade do musgo, quando ele estiver ficando seco é hora de regar, utilize o mesmo processo de imersão. a quantidade de regas vai depender de fatores como clima quente, exposição a correntes de vento, etc.

a14

Abraços,
Sejamos Felizes!

Fonte: cutebonsaitree.com; Imagens Seleções Pinterest. Imagens tutorial – créditos: Nicogusa.

Lembrou de alguém que gostaria desse post? Espalhe essa idéia! Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *