Eco-Design com Bambu

 

 

O perfeito Design do futuro será aquele que melhor se camuflar à Natureza. (Victor Herrera)

O eco-design aparece como uma nova proposta ao design contemporâneo, pois considera todas as partes decorrentes do processo do desenvolvimento de um produto, desde a escolha da matéria-prima, até o descarte do produto final, com o foco na diminuição do impacto ambiental causado por cada uma dessas partes. Segundo Papanek (1974),  “o design tem de ser responsável em termos de ecologia e sociedade, além de também ser revolucionário e radical. Tem de ser dedicado ao princípio do mínimo esforço da Natureza, em outra palavras: um mínimo inventário para a máxima diversidade. Isso significa consumir menos, usar por mais tempo produtos que permitem a reciclagem de materiais”.

Um aspecto importante do eco-design é o ciclo de vida de um produto tendo como objetivo principal, alcançar uma economia mais próxima à sustentabilidade. Para o desenvolvimento de produtos que visem a sustentabilidade a utilização de materiais renováveis aliada a materiais não nocivos, no aspecto ambiental contribui para o equilíbrio nos âmbitos  social, ambiental e econômico, gerando renda e criando uma cultura sustentável. E, nesse sentido, devido a sua crescente e disseminada viabilidade em países em desenvolvimento, tais como Brasil, China e Índia, o bambu oferece uma grande variedade de oportunidades de impulsionar o desenvolvimento sustentável, pois pode ser facilmente processado tanto manualmente como industrialmente, e tem seu custo reduzido devido justamente a sua viabilidade em fase de aceitação por parte dos consumidores.

Luminária “Airi” projetada por Paulo Foggiato

Talvez por suas raízes orientais, talvez pelo apelo natural, sempre gostei da inserção do bambu no universo dos utilitários em geral. O bambu por sua versatilidade passou a ser explorado para diversos fins a acabou se tornando o “queridinho” dos designers que usam o material esbanjando criatividade e ousadia.

Tecnologia e sustentabilidade também se rendem ao poderoso e charmoso bambu

O bambu é uma planta fantástica, pertence à família das gramineas e calcula-se que existam cerca de 1250 espécies no mundo, espalhadas entre 90 gêneros, presentes de forma nativa em todos os continentes, exceto na Europa. Desenvolvem-se em várias condições climáticas em zonas tropicais e temperadas, e em topografias que vão do nível do mar até em torno de 4000m. Há séculos que o Oriente venera e utiliza o bambu para os mais diversos fins, porém o Ocidente começou descobrir seu potencial de uso há poucos anos, principalmente em virtude dos problemas climáticos a nível mundial que gerou a necessidade de produtos renováveis.

O eco-design com bambu, a cada dia que passa, cresce mais e começa a atrair os mais variados consumidores. como no caso da armação de óculos criada pelo designer chinês Chen Chun-Hao

O Brasil já acordou para a utilização do bambu tanto na Arquitetura quanto no Design, mas com relação a muitos países, ainda está longe de utilizarem todo o potencial do bambu no desenvolvimento de novos produtos. O crescimento veloz, a alta produção de oxigênio e o envolvimento humano no manuseio fazem do bambu um material sustentável. Na decoração, o bambu extrapola a estética oriental e surpreende transformando-se em pisos, móveis, objetos, tecidos, etc. de apelo universal.
Selecionei abaixo, algumas imagens que demonstram a aplicabilidade do bambu em suas diversas possibilidades, como produtos artesanais bem resolvidos projetualmente em produtos do cotidiano, com design e forte apelo estético em peças com requinte e modernidade:

Bike Ecológica de Bambu de Flavio Deslandes, designer brasileiro que trabalha com Bambu, considerando-o como matéria prima poderosa na sua mais famosa criação a “Bamboo Bike”
Mesa de centro da Bamburei
Sacola de bambu enrolada/guardada na alsa que serve de case – designer  Sung um Chang
Sacola de bambu desenrolada para uso – designer Sung um Chang
Fruteira Colibri – feita de bambu pelo designer Paulo Bustama
Poltrona Bambu #5, ganhadora do prêmio Salão Design 2009 – designer Paulo Foggiato
Guitarra de Bambu Digitam Jam – projetada pela Agência Bambu de Conhecimento em parceria com a Modo Design

 

Linha de relógios sustentáveis em bambu Wood Collection
Cama toda estruturada em bambu do designer filipino Kenneth Cobonque

 

Luminária Coral em bambu – designer David Trubridge

 

Tuk Tuk de bambu desenvolvido pelo estudante de design australiano, Alexander Vittouris

Como vemos, a sociedade atual tem exigido cada vez mais atitudes responsáveis com relação à preservação dos recursos naturais, procurando despertar o interesse sobre os materiais sustentáveis, ecológicos que causem o menor impacto ao meio ambiente durante sua fabricação, industrialização e uso. Com base na versatilidade do bambu e sob a óptica da sustentabilidade, o designer de produto tem então um papel fundamental no processo de comercialização deste novo tipo de material. E para que o resultado seja satisfatório, é importante que o consumidor aceite o bambu aplicado aos produtos do seu cotidiano, o que traz como desafio principal para o  designer o estabelecimento de links entre pesquisadores do produto, no caso o bambu e suas potencialidades, para utilizar todas as oportunidades do material em criações que conquistem o consumidor com boas idéias que valorizem o bambu como material renovável que tem papel importante no desenvolvimento sustentável.

Bem, eu já fui conquistada pelo potencial do bambu. E você?

Abraços,
Sejamos Felizes!

Imagens: Web.

Um comentário para “Eco-Design com Bambu

  1. A marca nacional de cosméticos, Macrilan, criou toda uma linha de pincéis de maquiagem com bambu e cerdas naturais e artificiais. E o preço deles é bem mais em conta do que os pinceis convencionais feitos de madeira ou plástico.

    E são ótimos também, comprei um kit com 7 pincéis e não me arrependo. =D

    momentumsaga.com

  2. É muito legal perceber que o consumo inteligente dentro do caráter sustentável tem conquistado cada vez + espaço entre os consumidores de todo o mundo, não só como um fator diferenciador e sim como algo essencial. Nesse sentido, a utilização de materiais não nocivos ao meio ambiente, como materiais renováveis, e mais especificamente a utilização do bambu como matéria prima para o design de produtos, constitui parte importante no desenvolvimento sustentável. Consumo inteligente é um Luxo! Parabéns Sybylla! Abçs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *